Diego Costa está de volta ao Atlético de Madrid. O clube espanhol e o Chelsea chegaram a um acordo nesta quinta-feira, depois de mais de três meses de negociação. Com tudo acertado, o brasileiro viajará para fazer exames médicos e já deverá estar nos camarotes do estádio Wada Metropolitano no sábado, quando o time encara o Sevilla, pelo campeonato nacional, às 8h (horário de Brasília).


Mas ainda vai demorar para o torcedor do Atleti ver o atacante em campo. É que a janela de transferências já encerrou na Europa. Por isso, ele só poderá ser inscrito a partir de janeiro. De qualquer forma, é um desfecho positivo para o brasileiro, que não tem uma boa relação com o técnico Antonio Conte e estava afastado das atividades do Chelsea.


Para adquirir os direitos de Diego Costa, o Atlético pagou € 55 milhões (cerca de R$ 205 milhões). Mas, no contrato, há variáveis que podem fazer serem acrescidos a esse valor outros € 10 milhões (R$ 37 milhões). Para tudo ser sacramentado, restam apenas uma troca de documentos e os exames. Aparadas as últimas arestas, o atacante assinará até 2021.


Diego teve uma primeira passagem pelo Chelsea entre 2007 e 2009, marcada por empréstimos ao Celta e ao Albacete. Voltou ao clube em 2010, chegou a ser reemprestado para o Valladolid em 2012, mas decolou na sequência, com a conquista do título espanhol de 2013/2014. Na janela do verão europeu de 2014, foi negociado com o Chelsea, clube pelo qual foi bicampeão inglês.


O Globo