A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira, 12, a OPERAÇÃO ÁRION, com o objetivo de apurar irregularidades identificadas no procedimento licitatório (chamamento público) promovido pela Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe para a contratação de atrações artísticas que se apresentaram no “Encontro Nordestino de Cultura - Arraiá do Povo – 2018”, evento comemorativo do período de São João ocorrido na orla de Aracaju.


As investigações indicam que foram incluídas cláusulas no edital do certame que restringiram e frustraram seu caráter competitivo, permitindo que uma única empresa se sagrasse vencedora de 98% das contratações, que contaram com recursos da União, por meio de dois convênios firmados com o Ministério da Cultura em repasses totais de R$ 1.222.760,00.


Foram cumpridos 4 mandados de busca e apreensão nas cidades de Aracaju e São Cristóvão, com a participação de 16 policiais federais.


Árion, nome dado à operação, é alusivo a um poeta lírico grego que, segundo a lenda, teria vencido uma competição musical e, ao retornar à sua terra natal, marinheiros teriam tentando tirar sua vida para se apossarem dos prêmios que recebeu.

 

Com informações da PF/SE