O velho adágio popular se correr o bicho pega, se ficar o bicho come, se aplica como uma encaixe na política dos governistas em Sergipe. Rogério Carvalho condenado em primeira instância, no caminho da ficha suja e da corrupção de segmentos petistas e o vice governador Belivaldo Chagas sem densidade eleitoral, hoje são um pesadelo para o já destroçado projeto eleitoral moribundo dos governistas, liderado por Jackson Barreto.


O governo de Jackson e a fragilidade dos pretensos candidatos ao governo, os debilitam ao ponto de não saberem se é menos ruim, Rogério ou Belivaldo. Tal indicativo, somado a um governo vergonhoso, coloca a candidatura de Jackson ao senado em um precipício. E qual o motivo para o eleitor ir as urnas nas próximas eleições, votar em Jackson? Quem achar ganhará o prêmio Nobel da política!


Nesse imbróglio todo, Belivaldo com baixos índices nas pesquisas eleitorais tem um trunfo na mão, se Jackson se afastar em março, ele assume. E quem disse e acredita que Belivaldo, se rifado, fará campanha para Rogério Carvalho? Como diz a letra de uma música de forró, “ninguém desata esse nó, ninguém,....” é um nó suicida politicamente falando.


E o PT já demonstra que não quer Belivaldo, o futuro governador de nove meses, como candidato, dá pra entender? Tão perdido! Uma loucura! Campanha mesmo só pra eles, é sempre assim, querem apenas usar a máquina administrativa do governo GOLPISTA. Os Reis de Lagarto do PMDB, já pediram para os petistas largarem o osso e os Mitidieri fazem ameaça, se não tiverem na majoritária. Uma vergonha! E você eleitor, leitor, vai assistir tudo isso e ficar de camarote?


Já Rogério em frangalhos, sem alternativa, é um verdadeiro bateau mouche em naufrágio procurando a tábua de salvação nos destroços do titanic, o desgoverno de Jackson. Muitos aliados, já perceberam a tragédia anunciada, só os cegos e aqueles que não largam as vísceras desse falido e nefasto projeto político eleitoral, não querem ver, pois até um caolho e um neófito na política, já enxerga mais claro que a luz do sol do meio dia, o fracasso de 2018.


Enquanto isso, a oposição, sem pressa, demonstra cautela e espera definir as coisas no momento certo, os três nomes ventilados como líderes desta, Valadares, Amorim e André Moura trabalham sem dizer para qual cargo majoritário serão candidatos, se governo ou senado. E o motivo, o por quê? Os mesmos, já perceberam que a luz do farol os seguem, sem os deixarem cochilar, mostrando o caminho, porém, alertando- os, basta um consenso e não ficarem inertes, articulem, pois todas as condições postas, são favoráveis e estão bem aí.

 

Por Antônio Barbosa

Colunista deste Portal