Reunião na mansão

 

O deputado estadual Luiz Mitidieri (PSD) abre a sua mansão na Atalaia, neste sábado, 7, para receber o governador Jackson Barreto e lideranças dos partidos aliados.

O principal assunto será a formação da chapa majoritária com JB candidato a senador e Belivaldo Chagas, a governador. Certamente, após a reunião pouca coisa será confirmada, mas, pelo que se sabe, tudo vai girar em torno desse tema. Duas vagas estão disputadíssimas: senador e vice-governador.

 

As opções

 

Rogério Carvalho (PT), Pastor Heleno (PRB) e Luiz Mitidieri (PSD) são os três nomes mais fortes para ocupar essas vagas ainda existentes, na chapa do Governo. Mas, pode haver uma surpresa que vem sendo guardada a sete chaves.

 

Questão fechada

 

O PRB praticamente já fechou questão com relação a participação da sigla numa chapa majoritária, em 2018. O Pastor Heleno é o indicado do seu grupo para figurar nessa condição. De um lado ou de outro.

 

Conversa afiada

 

O vereador Vinicius Porto (DEM) vem mantendo um ótimo relacionamento com o deputado Jeferson Andrade (PSD). Os dois rejuvenescem a velha política sergipana.


Felino granfino

 

Continua repercutindo a declaração do prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, comparando os Teles de Mendonça a gato de rico, que, segundo a lenda, “mama, come e ainda reclama”. A metáfora pode até não expressar a realidade, mas, cá pra nós, retrata, com fidelidade, que tem gente mostrando as unhas.


No fundo, no fundo... só um fundão


E a tão esperada “Reforma Política” acabou se perdendo em meio às discussões inócuas travadas pelos deputados, no parlamento federal. Os principais pontos como o fim das coligações e o voto majoritário para todos os cargos ficaram para mais adiante. Pra não perderem a longa e cansativa viagem, aprovaram o tal “fundão”, oriundo de recursos públicos, e, de quebra, instituíram “vaquinhas” a partir de 15 de maio de cada ano eleitoral. Este é um país que não vai pra frente!


Vai faltar cuia


A situação financeira da maioria das prefeituras de Sergipe vai de mal a pior. Corte de despesas e exonerações em massa ainda não foram suficientes para equilibrar as contas, em muitas delas. Mesmo com tamanha choradeira, nenhum(a) prefeito(a) pretende renunciar.


Ficha quase limpa


O STF voltou a debater a aplicabilidade da Lei da Ficha Limpa, nas eleições do Brasil. Difícil de se acreditar que essa Lei cause algum efeito retroativo se, nem mesmo, casos contemporâneos foram ou são, efetivamente, alcançados por ela.


A fila do padre


Durante uma procissão no interior de Sergipe, o Padre resolveu acabar com aqueles grupinhos de políticos que ficam na frente do padroeiro, aparecendo mais que a imagem do Santo. Mandou todos ficarem em fila, lateralmente, como os demais fiéis. De fato, foram poucos os que acompanharam o cortejo.


Prefeito no cemitério


O prefeito de Siriri, Zé Rosa (PSB), deu uma de Odorico Paraguassu e, de posse de uma colher de pedreiro, jogou um punhado de cimento no muro do cemitério do povoado Mata do Cipó, que estásendo construído com recursos do próprio prefeito. Sem jeito pra coisa, apenas jogou pra galera, conforme pediu o seu marqueteiro. Afinal, o mundo dos vivos é dos mais vivos.


Inferno astral


O ex-prefeito e quase deputado Manoel Messias Sukita está vivendo um verdadeiro inferno astral. Depois de ter os seus bens tornados indisponíveis, pela Justiça, eis que está prestes a ficar sem a disponibilidade do PODEMOS. O comando da agremiação, em Sergipe, ficará com o secretário Zezinho Sobral, conforme disse o “mangangão” Álvaro Dias, presidente da executiva nacional.


Retelhando


A Justiça mandou o prefeito de Telha, Flávio Dias, readmitir duas servidoras efetivas que foram demitidas, sem justificativa, no mês de janeiro. A defesa alegou perseguição política e as mesmas, além de readmitidas, receberão os salários deste ano corrigidos pelo IPCA, com juros.

 

Por: César Cabral - 25ª Edição da Coluna na Gazeta de Estância
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.