Torre de 36m de altura, responsável pelo fornecimento de internet em Umbaúba, região Sul do Estado, desabou parcialmente com os fortes ventos que incidiram sobre o município


Uma torre de 36m de altura, responsável pelo fornecimento de internet em Umbaúba, região Sul do Estado, desabou parcialmente com os fortes ventos que incidiram sobre o município, atingindo três residências na noite da última segunda-feira. Não houve registro de feridos, mas na manhã desta terça-feira (9), o Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil (Depec) esteve no local, para fazer a avaliação de risco da estrutura, dar suporte e orientações às equipes locais.


A coordenadora municipal de Defesa Civil de Umbaúba, Carmen Pereira, disse que, tanto a empresa responsável quanto a equipe municipal, atuaram logo que foram informados do acontecido. “Estivemos no local para a verificação da situação ainda na noite de ontem e, junto à empresa, fizemos a remoção das pessoas do entorno, em consequência do declínio da torre. Acionamos a Defesa Civil Estadual para dar esse suporte e, agora, estamos focados nos reparos dos danos físicos e materiais em decorrência do problema. A assistência e averiguação do fato estão sendo acompanhados até a sua finalização”, afirmou.


De acordo com o engenheiro da Defesa Civil Estadual, José Roberto de Oliveira, o trabalho da equipe foi focado no acompanhamento e análise de risco das casas atingidas pela torre. “Três casas foram afetadas pelo desabamento da estrutura. Uma estava desocupada e as outras duas tinham moradores. Graças a Deus, ninguém se feriu, mas analisamos todo o local e percebemos que, apesar do susto, os danos foram pequenos e os moradores foram realocados. Então orientamos a empresa responsável que, assim que os trabalhos de remoção da estrutura fossem feitos, a recuperação das casas atingidas deverá ser realizada imediatamente”, informou.


Segundo o representante da empresa, Araci Neto, os danos foram apenas materiais e que as pessoas envolvidas estão sendo assistidas. “Fizemos tudo conforme orientação dos órgãos e, agora, estamos aguardando a liberação total da área para iniciar os trabalhos de retirada do material”, garantiu.


Foto: Ascom/Pritty Reis