O Governo do Estado informa que o Hospital Amparo de Maria (Hram) retoma suas atividades a partir desta sexta-feira, 1º, depois de passar dois meses fechado para a população devido a uma greve de funcionários que estão com os salários atrasados.

O impasse entre a gestão e os trabalhadores culminou com a indicação do novo interventor judicial, Paulo Daltro, que assumiu o cargo no último dia 23. Nesta sexta, a obstetrícia e o internamento pediátrico estarão funcionando normalmente.


Uma das primeiras medidas que garantiram o retorno das atividades do hospital foi o pagamento dos salários de outubro. Os atrasados serão pagos a partir de um planejamento que será feito com o objetivo de atualizar os vencimentos e zerar o déficit com os funcionários. “Fizemos um planejamento de recuperação financeira e assistencial do hospital, de forma que amanhã retomaremos os serviços”, informou o secretário de Estado da Saúde, Valberto de Oliveira.


De acordo com o interventor do hospital, Paulo Daltro, até o próximo dia 15 o Hospital Amparo de Maria retomará as cirurgias eletivas conforme o planejado e destacou que o Hram é uma instituição filantrópica que presta serviços de saúde ao Estado através de contrato. O hospital é retaguarda no internamento pediátrico para o Hospital Regional Jessé Fontes e ainda oferece outros serviços como exames laboratoriais, de radiologia e tomografia.


Ele explicou que a retomada dos serviços se deu após uma reunião com as equipes assistenciais, funcionários administrativos, cooperativas e fornecedores. “Conversamos francamente com todos, negociamos as dívidas e pactuamos a retomada dos serviços para esta sexta-feira para fazer o hospital voltar a produzir, tudo com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde”, enfatizou.


A expectativa em relação a esta nova fase da unidade é boa. “Embora o Hram seja uma instituição filantrópica, que presta serviços à Rede Estadual de Saúde, é estratégico e importante para dar suporte à rede hospitalar do Estado. Acreditamos que aos poucos o hospital volte à normalidade no atendimento à população da região Sul do Estado”, declarou o secretário Valberto de Oliveira.