Confira a 10ª Edição de César Cabral - Colunista deste portal de notícias


Fole furado

A realização do Forró Caju segue indefinida, segundo o prefeito Edvaldo Nogueira. Mesmo tendo ido a Brasília, acompanhado de vários vereadores à cata de recursos e com a receptividade do líder do Governo no Congresso, André Moura, os festejos não estão assegurados. Tudo, por enquanto, é só um ensaio, mas, a viagem foi proveitosa e as chances de sucessos são quase 100%. No início da semana, o prefeito pode anunciar a festa. O erro de Edvaldo foi deixar o tempo passar e não procurar alternativas. A ajuda dos vereadores foi fundamental, assim como a interferência do deputado André Moura. Pode até não haver Forró Caju, mas a fogueira tá queimando.


É difícil morrer, em Siriri


Os marchantes e a população de Siriri vivem dias de incerteza quanto ao futuro do matadouro que pode ser interditado pela Vigilância Sanitária. O prefeito José Rosa (PSD) não se dispõe a realizar os melhoramentos e adequações sugeridas pela VS e pelo Ministério Público, preferindo cruzar os braços e esperar a banda passar. O cemitério do povoado Mata do Cipó está completamente abandonado e transformado num verdadeiro matagal. Daqui a pouco, em Siriri, ninguém terá onde cair morto.

 

Bem na fita


A oposição está fortalecida, em Propriá, que conseguiu manter a professora Edsalba Peixoto no comanda da DER 06 e indicou a assistente social Patricia Freitas Britto para superintendente do Hospital Regional São Vicente de Paula. Como se não bastasse, também estão sob o seu comando as gerências da DESO e da Farmácia Popular.


Defendendo o rio


Este sábado, 3, é o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico. A CHESF lançou a campanha “Eu viro carranca para defender o Velho Chico”. Na verdade, a Companhia deveria virar a casaca e defender, muito mais, o rio que é a sua razão de ser. Faz muito pouco, pelo rio.


Ônibus na porta


Pacientes de Frei Paulo estão vindo para o HUSE, HEMOSE e Centro de Referência da Mulher em ônibus Escolar. Apesar do desconforto, há a vantagem de descerem na porta dessas Casas de Saúde. Já o ônibus Escolar fica estacionado ao lado do Tribunal de Contas, bem nas barbas do presidente, Clovis Barbosa. Arre égua!


Tá louco!


E não é que o secretário da Saúde, Almeida Lima, não consegue reconhecer a própria voz? O fato aconteceu quando um repórter reprisou uma afirmativa dele, sobre Capela. Após ouvir a gravação, umas três vezes, Almeidinha disse que nãonão disse...


Áudio tenebroso


Circulam informações de que, brevemente, alguns áudios comprometedores serão veiculados nas redes sociais, envolvendo um conhecido gestor público. Digamos que se isso realmente acontecer, o moço terá muito o que explicar. Em casa, na Casa e ao povo.


Enterrado vivo


Nem completou seis meses de administração e o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) foi “enterrado” na última terça-feira, 30, por servidores da prefeitura, durante ato do SEPUMA, realizado em frente à Câmara Municipal de Aracaju. Segundo Nivaldo Fernando, presidente do Sindicato, em quatro meses o comunista torrou R$ 18 milhões com cargos em comissão.


O choro é livre


Alguns aliados de Jackson Barreto estão choramingando, pelos cantos, incomodados com a aproximação dele com André Moura. Em meio a esse rio de lágrimas, os dois estão afinadíssimos, procurando soluções para os problemas de Sergipe. Foi assim em Brasília e foi assim em Aracaju, quando André trouxe o presidente da INFRAERO para apresentar, ao governador e ao vice, o Projeto do aeroporto de Aracaju.

 

O choro é livre 2

 

Na Câmara de Vereadores de Aracaju o Pastor Carlito Alves chegou a dizer que “pareceque na bancada sergipana só tem André Moura, para defender o Estado”. Deu um puxão de orelhas no deputado federal Pastor Jony, de quem se diz amigo, irmão e correligionário.


Por: César Cabral - 10ª Edição da Coluna na Gazeta de Estância
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.