O senador Antônio Carlos Valadares, do PSB sergipano, se antecipou e comunicou por e-mail ao ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, o desligamento dele do governo Temer com a imediata devolução dos cargos a que fez jus na divisão do bolo governamental.

Como não obteve resposta de Padilha, Valadares acabou por enviar a correspondência abaixo, agora diretamente ao próprio presidente Temer, justificando sua decisão. Vale enfatizar que o presidente Temer não quis recebê-lo em palácio para uma conversa olho no olho. Confira a íntegra:

 

"Senhor Presidente,

Reformas e Represálias,

No dia 30 de abril, encaminhei ao Ministro da Casa Civil Eliseu Padilha e-mail manifestando a minha discordância quanto aos métodos truculentos e ultrapassados adotados pelo governo federal para conquistar apoio no Congresso Nacional, demitindo ocupantes de cargos indicados por parlamentares, que não estejam comprometidos com a aprovação das Reformas Trabalhista e Previdenciária. Como fui cientificado pelo próprio ministro que tal documento (que expressa a minha posição contrária a tais represálias, e às reformas Trabalhista e Previdenciária), teria o devido encaminhamento ao presidente, e como até agora, não tive resposta, é do meu dever, em face das circunstâncias, ratificar o meu desligamento do governo, pelo que, deve o presidente considerar que todos os cargos apontados como de minha indicação, estão colocados à sua disposição desde aquela data. Não apoio a um governo que adota a retaliação para obter apoio incondicional.

 

Senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)."