Quiçá, o leitor (a) já não tenha tirado suas próprias conclusões de que se trata, ao ler o cabeçalho desse artigo.


Segundo os princípios de Jesus Cristo que veio para os doentes, o povo de Deus deve ser justo, limpo de corpo e espírito, além de economizar para distribuir com os mais necessitados. É isso que está escrito no maior best seller da humanidade – a Bíblia, e o que praticou quando aqui entre nós esteve.


Não tem muito tempo que todas as emissoras de televisão do País, noticiaram que 19 juízes deixaram de julgar criminosos e figurões políticos pela prática de pedofilia, onde até uma menos de oito anos de idade, se encontrava. Bela justiça!


A gente se depara com imensa tristeza em ver o Congresso Nacional desmoralizado, pela prática nefasta de corrupção dos seus membros. Na Câmara Federal e nas Estaduais o “modelo” não é diferente. Suas excelências chegam a adulterar os velocímetros de veículos oficiais, para cooptarem diárias, e a liberdade chegou a impressionar todos os brasileiros – a quilometragem adulterada daria para ir, com idas e voltas, à lua. Como se não bastasse, a Presidência da República se envolve com bandidos, comprometendo a idoneidade moral da Nação, no cenário internacional.


Nas filas dos bancos, das lotéricas, das lojas, dos supermercados, etc. Não é difícil de vermos litígios por falta de respeito. As operadoras de telefonia e de internet praticam escandalosas irregularidades e, por fim; quem paga a conta é a população, desprotegida, porque é considerada leiga pelos próprios magistrados, e tem que recorrer aos advogados que vivem se aproveitando de brechas nas leis retrógradas.


Está constatado que a Nação está falida, mas entrem nas repartições públicas e vejam, em plena luz do dia, a quantidade de lâmpadas acesas. A esplanada dos ministérios em Brasília é a fonte do desperdício. Funcionários públicos que se servem dos sanitários, não têm o cuidado de ao saírem, apagarem as lâmpadas do ambiente. São os pequenos gestos que praticados por todos, redundaria em grande desempenho da máquina pública, como por exemplo: no momento de conceder os reajustes anuais ao funcionalismo. Isto é, se não roubarem.


Nas cidades por onde a gente passa, tem sempre o cuidado de observar a tremenda imundície pela maior parte da população daquela comunidade. Nas artérias onde existem coletores de lixo, a alguns passos das portas das casas, por preguiça, os moradores da artéria deixam bolsas com lixos, propiciando que os gatos e cachorros se apoderem delas e a sujeira se propague.


As praças públicas (tadinha delas!), nem é bom falar. A depredação é grande e mesmo com os pequenos coletores a olhos nus, os vândalos deixam lixo em bancos dos jardins e no solo, pensando em dar trabalho aos garis. Entretanto, aqueles que assim o fazem, por que não morrem para dar trabalho aos coveiros?

A nojeira é tamanha que o site Yahoo remete abaixo-assinados aos seus usuários, coletando assinaturas para tentar impedir que a imundície da Nação, propiciada por que deve cuidar dela, se propague ainda mais.


Ainda, como símbolo imponente e contradizendo o q acabamos de relatar, encontramos em cidades do sul e algumas sudoeste do País, exemplos ímpares de respeito, limpeza e economia, fruto da educação popular.


Medidas repressivas têm q serem tomadas impostas pelas autoridades, com o fito de reduzir esses crimes que envergonham nosso País, dentro e fora dele. Também, convém frisar que a revolta e a indignação que tomaram conta do nosso sofrido povo, passem a fazer parte desse conteúdo lamentável.


Legisladores, juristas e autoridades afins; chega de tanta FALTA DE RESPEITO, DESPERDÍCIO E IMUNDÍCIE!

 

Por: Tonho da Vila
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.